terça-feira, 5 de julho de 2011

1ª Reunião sobre Transição - resumo

No passado dia 01/07/2011, um grupo de 11 pessoas juntaram-se em Vila Nova de Famalicão, para falar sobre Transição. Depois da palestra do dia 18, com Miguel Leal, do Movimento Paredes em Transição, foi a primeira manifestação de uma vontade colectiva de fazer a Transição para uma comunidade mais sustentável e resiliente em Famalicão. Assim, fica aqui o registo da conversa:

Programa :
1)    Troca de Ideias sobre transição – distribuição de extracto do Manual de Iniciativas de Transição
2)    Exercício – Como gostaríamos de estar, em Famalicão, daqui a 10 anos?


Presenças:

1. Ana Maria Azevedo
2. Ana Maria C.V. Azevedo
3. Albertina Pereira
4. Armindo Magalhães
5. Cristiana Caldas
6. Manuel Cruz
7. Manuela Araújo
8. Maria Martins
9. Nuno Mendes
10. Paulo Mesquita
11. Sandra Costa

Resumo:

Foi uma reunião notável, com um grupo de pessoas verdadeiramente interessado em ajudar a contribuir para a mudança na Transição para um Famalicão mais resiliente e sustentável. As ideias e contributos de todos foram excelentes, um bom princípio para um Movimento de Transição em Famalicão.

No exercício de futurologia a que nos obrigamos – imaginar como gostaríamos de ver Famalicão daqui a 10 anos, e escrever uma ou duas ideias num pequeno papel - saíram ideias muito válidas e interessantes, umas mais concretas e outras mais gerais, ou mesmo utópicas, que a seguir se enumeram:

A.    Sociedade e cultura
1.    Uma cidade verde, auto-suficiente e solidária
2.    Uma comunidade muito menos consumista
3.    Existência de um forte sentido comunitário, uma maior união entre os  habitantes, que colaboram em actividades de apoio ao crescimento social, económico e cultural
4.     Pobreza económica e moral erradicada
5.    Um concelho auto-sustentável, começando pelo levantamento de todas as técnicas, boas e más que se praticam em vários sectores de actividade
6.    Inclusão de pessoas mais velhas e reformadas no movimento, de modo a que possam contribuir para a transição, sobretudo através da partilha de conhecimentos
7.    Um convívio intergeracional mais frequente, com actividades conjuntas com crianças, jovens e pessoas mais idosas
8.    Uma cultura mais abrangente, nomeadamente nas áreas do teatro, literatura e cinema
9.    Existência de um banco de troca de conhecimentos e entreajuda, suportado numa rede on-line
B.    Agricultura
10.    Produzir localmente, a nível alimentar, a maior parte daquilo que é consumido
11.    Aproveitar os terrenos agrícolas que agora não estão cultivados, facilitando o arrendamento por parte de novos agricultores,
12.    A maioria dos agricultores a usar métodos biológicos e sustentáveis, para o que será necessária a criação de um grupo que dê apoio e formação 
13.    Espaços públicos cultivados, transformando mesmo parte dos relvados actuais em hortas
14.    O concelho com uma produção forte e exemplar de frutos secos, incluindo a partir de árvores plantadas em espaços públicos
C.    Comércio
15.    Criada e a funcionar uma rede local de distribuição dos produtos locais,  suportado numa rede on-line
16.    Existência de uma espécie de moeda local, a partir de atribuição de valor aos produtos produzidos localmente (ou com talões ou vales)
17.    Mercado de trocas a funcionar
18.    Recuperar a actividade dos mercados locais  e da Feira Grande
D.    Educação
19.    Todas as escolas do concelho a fazer realmente a separação de resíduos para reciclagem
20.    Todas as escolas do concelho dotadas de espaços verdes para cultivo (hortas)
E.    Mobilidade
21.    Uma rede de transportes muito mais ecológica
22.    Uma rede de vias cicláveis, de forma a que as pessoas se possam deslocar de bicicleta em segurança
F.    Energia
23.    Recuperados os moinhos e azenhas que se encontram ao abandono e em ruína para produção de energia
24.    Pessoas muito mais sensibilizadas para a necessidade de redução de consumos energéticos, através de acções de sensibilização em conjunto (colóquios) e mesmo em particular - dando conselhos nas casas das pessoas (tipo caça-watts de Cascais.


Também se falou de artesanato local e de actividade industrial, mas com certeza outras ideias mais concretas surgirão mais tarde nestas e outras áreas, bem como nas áreas já assinaladas.

Ficou decidido que o primeiro passo é tentar alargar mais um pouco o grupo, e cada elemento que participou tentará trazer, para a próxima reunião mais um elemento, de preferência com conhecimentos específicos nas áreas focadas e/ou vontade de contribuir para a mudança. 

Próxima reunião prevista para o dia 15/07/2011  às 21:45h (a confirmar), em local a designar mais tarde.

3 comentários:

  1. Bom se for pocivel gostava de participar,agradeço imformação.

    ResponderEliminar
  2. Logo que se saiba o local para a 2ª reunião e se possa confirmar data, será aqui divulgado

    ResponderEliminar
  3. Gostaria de ajudar no que me for possível. Não pude ir à reunião dia 1. Fico à espera de notícias da próxima reunião.

    ResponderEliminar